RSS
Facebook
Facebook
Pinterest
Pinterest
Instagram

Olá , Caminhantes!

Aqui está o terceiro passo para a recuperação da Criatividade: recuperando a proximidade. Nessa capítulo, Cameron fala sobre a escolha de nossas companhias e a escolha da solidão. Sobre como às vezes nos encontramos isolados, ou em grupos que não nos dão suporte. O quanto isso pode afetar nossa inspiração?

Essa é mais uma pergunta que só você pode responder.

A chave para entender as relações atuais, segundo ela, pode ser encontrada no passado. É hora de perguntar às páginas:

Como você era em relação a outros na sua adolescência?

Como os outros viam você, na sua opinião?

Como suas escolhas sociais refletem padrões que podem ser encontrados já naquela época?

Explorar nossas antigas relações (especialmente aquelas da época quando estávamos aprendendo a nos relacionar – a adolescência ) faz com que não repitamos erros passados, nos dá a chance de celebrar nossas escolhas e o caminho a que nos conduziram.

“Estabelecendo um bom relacionamento com nós mesmos, nos tornamos mais cientes de nossos valores. Quando nos expressamos, nos aproximamos de uma força maior, Quando exercemos nossa criatividade nunca estamos sozinhos.” (p. 82)

Mas nem sempre nos vemos rodeados de mentes que compartilham de nosso momento de vida, ou mesmo nossos sonhos. Nos vemos às vezes ilhados, isolados de uma comunidade artística que nos entenda e suporte. A sensação é que você está sozinho. Que não é compreendido.

Lembre-se que, assim como você, outros podem estar sentindo o mesmo.

Não somos para todo mundo, e nem todo mundo é pra gente, mas podemos dar o primeiro passo em direção a quem é importante para nós. Só não deixe de continuar construindo uma relação com você mesmo(a). O que vale é a relação que construímos com o nosso próprio eu; essa é a relação que estruturará todos os outros relacionamentos.

“Quando pedimos apoio, nós nos abrimos para novos tipos de relações. Mostramos nossa disposição para realizar algo. Quando oferecemos apoio, em geral nosso gesto é retribuído. Quando estendemos a não para os outros, construímos uma ponte, proporcionando maior proximidade. “

E você? Sente-se sozinho no caminho da escrita? (ele pode ser um caminho solitário)

A notícia boa é que ele não precisa ser <3

Um abraço,

RSS
Facebook
Facebook
Pinterest
Pinterest
Instagram

Deixe um comentário