Olá, Caminhantes,

Existe uma frase que repito todos os dias, como um mantra: Escreva, e acontecerá.

 

Eu acredito nisso, e tenho motivos para acreditar. Não falo aqui sobre pedir feitos impossíveis (embora o impossível seja discutível) ou os seis números da Mega-sena (quem dera!). Falo aqui sobre uma escrita que me permite paz. Esse estado de espírito raro nos dias de hoje. O conforto de habitar o próprio corpo, e morar bem dentro da cabeça.

Mas voltando à frase do título, acredito nela sim. Escrever me levou a lugares incríveis, tanto para dentro de mim quanto para fora, no mundo. Escrever me possibilitou encontros que mudaram o rumo de minha vida. Já respondeu perguntas que a cabeça, a mil, não tinha condições de responder. Já me convenceu de verdades que não admitia, interrompeu planos absurdos que se mostraram uma furada, já conversou comigo e segurou minha mão em dias difíceis. Nunca mais estive sozinha depois que aprendi a escrever de forma terapêutica. Meu nível de ansiedade é hoje bem menor do que era há alguns anos – embora eu acumule, hoje, a carga do trabalho, da maternidade e do estudo.

E agora, escrever me trouxe até você.

Hoje, dia 03 de abril de 2019, lancei meu curso online. Nele eu compartilho o tipo de escrita que cura e liberta, que apazigua anseios, remexe com o que estava guardado e me ajuda a perdoar. Uma escrita reflexiva que me faz entender o humano, porque no decorrer das linhas, passei a me entender melhor.

Foram meses pensando em como elaborar a ideia, e montá-lo de um jeito bonito, honesto e intimista, como são os meus encontros presenciais. Não há nada nesse curso que não seja uma tentativa de entender e ajudar quem precisa de paz interior. Lá, naquele cantinho que arrumei para nos encontrarmos, falo de bloqueios, censores que tentam nos manter no conforto de nossos casulos, técnicas que permitem fazer a caneta voar sobre o papel, a importância do mundo sensório para as memórias, os registros arquivados no corpo – que se transformam, quando silenciados, em sintomas.

Falo também sobre a escrita que surge dali, de onde os sonhos vêm, e os mistérios – e encantos – da nossa mente inconsciente. Falo sobre histórias, e como aprendemos a narrá-las de um só jeito – uma narrativa que de tão enrijecida parece até escarvada em pedra – mas que não é.

E falo sobre a libertação de nossas vozes interiores – uma liberdade que respinga em nosso cotidiano, em nossa escrita e no modo como nos entendemos.

Nem acredito que o curso saiu. Nem acredito que precisei gravar vídeos (Cadê aquele emoji da moça tampando o rosto de vergonha? Eu sou uma introvertida!). Mas por estarem aqui, achei que gostariam de saber que SAIU. 

Por favor, ajudem a espalhar o boato para o universo. Digam por aí que há um canto cheio de paz para sonhadores ansiosos nessa fábrica de loucos que virou a internet. Façam o curso, se acharem que precisam/querem. Venha participar do grupo secreto que montei no FB, e conhecer a sua tribo (a dos escritores que enxergam nas palavras sua liberdade)

Mas se preferirem, esperem os e-mails, que chegarão no decorrer das próximas semanas. Neles, darei uma explicação a fundo sobre o que trato em cada módulo, para que você se encante pelo caderno como tantos já se encantaram.

Então é isso. Fiquem na paz e na luz, debruçados sobre seus cadernos.

Avante!

 

 

Deixe um comentário