Olá caminhantes,

Duas semanas atrás, existia um rio que ainda respirava na cidade de Brumadinho.

Existiam famílias ao redor desse rio. Famílias completas. Existiam crianças jogando pedrinhas na água, peixes fluindo no ritmo da vida, uma tribo em suas margens e trabalhadores seguindo seus cursos diários. E havia também uma barragem que, por descaso histórico e/ou corrupção endêmica, não suportou a força do que segurava.

Perdemos vidas – vidas – em uma tragédia pavorosa.  Um mundo de lama soterrou tudo que havia no caminho. Famílias nunca saberão onde estão seus filhos amados. Seus pais. Seus tios, amigos, animais. Onde está enterrado hoje o coração que batia forte contra o peito em seu último abraço? Onde está a pele de toque macio do filho que seguravam até há pouco nos braços?

Fico imensamente entristecida toda vez que saio da frente da TV e chego mais perto de quem sofre, das histórias individuais, da empatia que me permite sentir um mil´simo de sua dor. E mesmo esse milésimo me entristece quando deito a cabeça no travesseiro, imagine o quanto as pessoas naquela cidade choram pelos seus mortos. É nessas horas que desejaria poder fazer mais do que escrever. Que queria ter superpoderes para erguer aquela lama toda do chão e achar o que foi perdido ali embaixo. (Mas aí lembro que já existem super-heróis fazendo isso todos os dias, desde a tragédia. Que papai do céu proteja e guarde cada um deles.)

Foi enquanto pensava nisso que me deparei, através do instagram @gowriters, com a iniciativa criada pela escritora @indigo_hoje. Ela está recolhendo e montando “kits curativos”para a alma, compostos de lápis de cor, canetas, cadernos, apontadores e borracha – que seguirão para os sobreviventes da tragédia.

Junto deles, irão também cartas escritas à mão com palavras de solidariedade.

A intenção da criadora da iniciativa?

Permitir que aqueles afetados pela tragédia tenham um lugar para extravasar seus sentimentos. Que a escrita possa lhes ajudar a processar o que aconteceu.

Como escritora, ela acredita no poder da escrita, e resolveu agir. Escrevendo e ajudando outros a escreverem. Quão lindo é isso?

Queria convidar todos vocês a escreverem também. A mandarem cadernos e canetas para os sobreviventes da tragédia, para que encham suas páginas de esperança, lamentos, palavras de força e saudades. E que escrevamos, cada um de nós, uma carta para essas pessoas. Uma que fale da nossa dor pela dor do outro. Sobre o nosso luto, como brasileiros, pela terra, pelos filhos e pelo rio que perderam.

Sejamos solidários e presentes, e atentos como cidadãos para que nunca mais tragédias assim aconteçam. Sejamos escritores de coração, ligados ao outro por laços cada vez mais esquecidos.

Para quem quiser/puder participar, aqui estão as informações:

(Recolhimento até dia 15 de março)
Caixa postal 1989
A/C de Índigo Ayer
S. Lourenço da Serra, SP
CEP 06890-970

 

Que nossa luta seja (entre tantas outras formas de lutar) com palavras.

Um beijo!

2 Comments

  1. abril 14, 2019 at 1:20 am

    Olá Karina! Sou de Brumadinho e essas iniciativas dando forças e energias positivas são maravilhosas… nos fazem perceber que existem pessoas do bem, que pensam no próximo e disponibilizam do tempo para conforta_lo. Parabéns pela atitude é muito obrigada!

    professoraivaniferreira.blogspot.com

    • ocaminhointerior-Reply
      abril 17, 2019 at 2:01 pm

      Oi Sra. Ivani! Agradeço muito que tenha vindo aqui! Minhas cartinhas (e os cadernos e canetas) foram pra sua cidade, e peço a Deus que tenham achado a pessoa certa, no momento certo. Escrever é maravilhoso, dá formas ao invisível, delineia no papel o monstro sem tamanho e contorno que nos angustia. Aqui no blog venho uma vez por semana, mas no Instagram posto quase diariamente sobre a escrita e suas benesses! O endereço é @OCaminhoInterior
      Obrigada! Mil beijos

      Karina

Deixe um comentário